Seguidores

março 27, 2017

De onde vem a palavra BORBOLETA?

O repouso da guerreira...

Eis um caso em que o borboleteio é mais que muito à volta da origem (controversa) da palavra BORBOLETA.
Para a Infopedia, da Porto Editora, vem latim vulgar papillitta (diminutivo de papilĭo). Já José Pedro Machado, no seu Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa, defende que a origem está no termo belbellita, reduplicação de bellus (bonito), com sufixo diminutivo. Na mesma obra, documenta-se o uso da forma berbereta, no século XVI.

E como voa a borboleta noutras línguas?
papallona (catalão), mariposa (castelhano), pinpilinpauxa (basco), papillon (francês), farfalla (italiano), butterfly (inglês), Schmetterling (alemão), baboqka (russo), kelebek (turco), parpar (hebraico), petalouda (grego), kipepeo (suaíli), fluture (romeno), pillangó (húngaro), liblikas (estoniano)...

Abraço.
ProfAntónio

março 25, 2017

São amorzinhos ou amorEzinhos?



Se fosse no singular, não haveria qualquer dúvida: o resultado da soma AMOR+ZINHO só poderia ser amorzinho!
Tratando-se do plural, o caso muda de figura. Uma verdadeira casca de banana linguística onde já escorreguei sem apelo nem agravo:
AMORES – S + ZINHO + S = amorEzinhos!

RESPOSTA:
São amorEzinhos!
Nota: Pela mesma razão, atorEzinhos, leitorEzinhos, favorEzinhos, estuporEzinhos, etc.

Abraço e bom fim de semana!

ProfAntónio
Imagem encontrada AQUI.

março 07, 2017

Resplandescente? Não, seria brilho a mais...

A superlua de Azeitão RESPLANDESCE ou RESPLANDECE?

Mais uma vez, temos um caso em que uso correto entra em choque com o que é comum ouvir-se.

RESPOSTA:
A grafia certa é apenas uma: RESPLANDECENTE!

Nota: Talvez a introdução daquele S clandestino se deva ao étimo da palavra com origem no latim resplendescente (particípio presente de resplendescĕre, «brilhar; resplandecer»).

Abraço.
ProfAP

março 06, 2017

“ter a certeza que” OU “ter a certeza de que”?

E marcou mesmo! Estás perdoado, Eder...

 “A forma mais correta é a certeza de que:
    Ter a certeza de que aconteceu alguma coisa.
Expressões como ter a noção, ter a ideia, ter a certeza, etc. requerem a preposição de, como se pode verificar nos casos em que as expressões não são seguidas de uma outra oração mas antes de um nome, em que é impossível retirar a preposição de:
    Tenho a certeza de muita coisa.
Fonte: Infopédia.

Abraço.
ProfAP

fevereiro 28, 2017

Poemas de amor 1



APENAS UM SONETO

O delicado desejo que te doura
e nos dura na pele quando anoitece
é contra a nossa vida que se tece
e é no verso que vive e se demora.

Amor que não tivemos nem nos teve
veio-nos chamar agora. De repente
fez-se névoa a palavra do presente
e luz teu corpo que toquei de leve.

Mas se arde na memória da canção
o corpo que me deste e me fugiste,
o verso é outro modo de traição

por que minto ao que tu nunca mentiste.
E enganamos assim o coração,
disfarçando de mitos o que existe.

Luis Filipe Castro Mendes (in “366 poemas que falam de amor”, antologia organizada por Vasco da Graça Moura.

Com amor,
ProfAP

fevereiro 19, 2017

Deve dizer-se “à última hora” ou “à última DA hora”?


Se o leitor tiver a intuição (infeliz) de consultar o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa, ficará com a ideia de que tanto se pode dizer e escrever à última hora como à última da hora, uma vez que ambas as construções lá estão registadas...
No entanto, considerando que parece ter sido feito à pressa e com opções muito discutíveis, como no caso de hoje, este dicionário (publicado em 2001, em dois volumes) está londe de ser uma fonte fiável.

Como vamos ver, a conclusão é bem diferente!

CONCLUSÃO:
Devemos dizer à ultima hora!
Esta locução adverbial foi inicialmente adotada para designar um serviço de receção de objetos postais.

"Última da hora" não tem sentido: última quê? Se se dissesse «último», ainda podíamos depreender que estava ali subentendido um minuto, um segundo, um instante (ao último instante da hora...). (In Ciberdúvidas)
Fontes: Infopédia, Flip e Ciberdúvidas.

Abraço.
ProfAntónio

fevereiro 15, 2017

O que é um POTAMÓNIMO?

Geba é o potamónimo do maior rio da Guiné-Bissau.

Aparentemente complicada, depois de desmontada, a palavra revela os seus segredos:
Do grego potamós, «rio» + ónyma, «nome».

É isso mesmo, um potamónimo é uma palavra que designa os nomes próprios dos rios: Tejo, Danúbio, Geba, Nilo, etc.
Nota: A palavra hipopótamo tem uma origem parcialmente comum: entra na língua portuguesa pelo latim hippopotamu, mas tem origem no grego hippopótamos, «cavalo de rio» (hippo, “cavalo” + pótamos, “rio”).

Abraço.

ProfAntónio